Sobral de São Miguel, “O Coração de Xisto”

Sobral de S. Miguel, “o coração do xisto”

Sobral de S. Miguel integra a Rede das Aldeias do Xisto, composta por 27 aldeias espalhadas por 16 concelhos no centro de Portugal. O slogan da aldeia “O coração do xisto” não é inocente. Esta aldeia será um dos maiores aglomerados de edifícios em xisto de Portugal e das pedreiras sobralenses exporta-se xisto para o mundo.

Existem vestígios de uma ocupação do desde os tempos remotos.

Romanos, bárbaros e árabes também por aqui deixaram os seus vestígios, em algumas pontes, calçadas e nomes de locais. Mas é na época medieval que se dá o povoamento ou a expansão generalizada das Aldeias do Xisto, algumas por se encontrarem em pontos estratégicos de rotas comerciais, como Sobral de São Miguel no concelho da Covilhã.

Estamos perante um povoado muito antigo, como atestam os inúmeros vestígios de arte rupestre. A origem desta aldeia remonta à era romana estando sempre associada às antigas rotas comerciais. Existem indícios de minas mouriscas que apontam igualmente para uma vivência árabe, comprovada pelas lendas narradas pela população mais idosa.

Aqui conta-se que o Sobral foi povoado por guardadores de porcos que vinham temporariamente com as suas varas para engordar com a bolota dos sobreiros. Como o Sobral era uma área atravessada por caravanas de mercadores que faziam as trocas comerciais entre o litoral e o centro da Península, começaram por construir abrigos, juntamente com as poucas casas já existentes dos guardadores de porcos. As primeiras casas foram construídas ao longo da ribeira, mais ou menos à frente de uma capela em honra de São Miguel (padroeiro da aldeia), que anos mais tarde deu lugar à atual Igreja Matriz.

As ruas e quelhas da aldeia, que por vezes acompanham o leito da Ribeira do Porsim, que nos mostra as levadas e moinhos de águas são sem dúvida um caminho a percorrer. Subindo a aldeia pode ainda visitar os fornos comunitários e o casario tradicional com bonitos balcões e varandas. De dentro para fora da aldeia pode conhecer a fauna e flora e conviver com os pastores através do percurso pedestre designado como “Rota dos Pastores” com cerca de 8 km de extensão e chegar a uma altitude máxima de 925 m.

Quanto ao património gastronómico, na aldeia pode provar desde ginja, até pica de chouriço, sardinha e bacalhau, passando pelo mel, pelo queijo fresco e curado, pela broa e pelo pão de forno a lenha, mas não só. Sobral tem ainda para oferecer um vasto património imaterial, cultural e artístico.

Descobrir esta Aldeia de Xisto, é dar e receber uma palavra de cumprimento dos seus habitantes. Se der mais umas quantas de conversa, receberá em troca uma grande história de vida.

Sobral de S. Miguel é, por tudo isto um destino com alma!