Serra da Estrela

Deixa que eu te descubra, anónima paisagem, (...) Que eu não posso, paisagem, esperar mais! (Miguel Torga)

À serra, hoje conhecida da Estrela, os romanos deram-lhe de “Herminius mons”, Montes Hermínios, formada em pleno centro do país por uma cadeia montanhosa, domina Portugal, abrange o ponto mais alto do território continental com os seus 1993 metros o que a tornam na maior área montanhosa do território nacional.

A serra da Estrela, zona de paisagem integrada no Parque Natural da Serra da Estrela, de características muito próprias, é magnética, feita de bosques densos, de rochedos caprichosos, com amplos espelhos de água das suas 25 lagoas e rasgada por grandes rios que nela nascem, como o Alva, o Mondego e o Zêzere.

A nobreza das paisagens da serra da Estrela, que concorre com a tranquilidade das lagoas, com o ar genuinamente puro, possibilita a prática de variados deportos quer no inverno quer no verão, a oferta gastronómica serrana e o seu artesanato fazem desta região um destino turístico de excelência, cada vez mais procurado.

A região, variada e vasta integra na perfeição a dureza granítica e a beleza do xisto, presente nas suas paisagens e aldeias graníticas ou de xisto. As correntes frias das nascentes dos vários rios, que correm pelos vales glaciares são abrigo natural da fauna e flora exclusiva desta serra, como o sociável Cão da Serra da Estrela, de avantajada corpulência, mas de grande beleza, e de nobres sentimentos.

A serra da Estrela é todo um património natural e cultural, que em qualquer altura do ano, se pode descobrir.

Pensar na serra da Estrela é pensar em neve, em desportos de inverno, em dias frios passados a esquiar e em noites frente à lareira, todavia, as características geográficas desta região, vão mais além, outras atividades como os percursos pedestres, os trilhos de BTT, a escalada e o parapente têm ganho cada vez mais um papel relevante pela facilidade de se conseguirem realizar em qualquer época do ano. A serra constitui uma verdadeira aventura ao explorar os seus vales glaciares, lagoas, cascatas e paisagens de cortar a respiração, desde o Covão dos Conchos à Lagoa Comprida, Poço da Broca, Vale Glaciar do Zêzere, ou a Varanda dos Pastores de onde pode desfrutar da grandeza do Vale glaciar de Alforfa e ainda muitos outros locais.

Mas, a descoberta da beleza da região passa também pela gastronomia serrana, fortemente ligada aos hábitos agrícolas e à estreita ligação das suas gentes à natureza. Se, o queijo serra da estrela se apresenta como o “rei” de qualquer mesa serrana, bem como o requeijão e saborosos enchidos como as alheiras artesanais, morcelas e chouriças da região, acompanhadas com o delicioso pão de centeio, de tom escuro, textura, aroma e sabor inesquecíveis, o cabrito é o imperador da mesa, assado no forno com cebolas, sal, azeite, pimenta, noz moscada, regado com qualquer dos excelentes vinhos produzidos na região.  Pelo que perder-se uma refeição de tal gabarito ao visitar a Serra será com certeza um enorme pecado.

Como escreveu Aquilino Ribeiro, “A Serra da Estrela é uma personalidade”.